segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Fechando 2018 com chave de ouro e voltando a escrever no blog.

Os anos voam. Três anos sem escrever no blog e 4 anos sem encontrar as amigas do Clube das Capivaras. Não sei o que acontece, mas o tempo brinca de esconde esconde com a gente e quando vemos passou. Nos envolvemos com a rotina, as obrigações e deixamos pra traz o que realmente importa: a amizade, os bons momentos, a criatividade...mas desta vez foi diferente, marcamos com antecedência o reencontro das Capivaras: Luzinha, Ana Lu,  Pati, Ju, Carol, Priscila e eu. Faltou a Mônica, infelizmente. E foi memorável. 





Pati deixou tudo lindo nos aguardando. 


O Capi's Day começou com muita emoção, abraços, carinho, mimos e presentes. Carol levou avental personalizado para todas e Ju uma caneca exclusiva do Clube das Capivaras. Priscila fez uma guirlanda supercriativa e Luzinha um quadro de boas vindas para 2019. Ana Lu confeccionou as capas de todos os álbuns, que ficaram maravilhosas!!!!




Cada uma que chegava trazia uma bagagem enorme, recheada de papeis, materiais, ferramentas e muita motivação para fazer o álbum com os papeis de Natal da Scrapdiary, by Luzinha Folk. E o que é mais chique, com a própria designer, que é membro do nosso clube. Além de passar o projeto, ela nos ensinou várias técnicas e uso de ferramentas. Ameeeeeeeiiiiii...pois estava enferrujada. 



E como ninguém é de ferro e o calor estava insuportável fizemos vários intervalos para relaxar, jogar conversa fora e degustar todas as delícias que cada uma levou. 






A saudade era grande e já sabíamos que um dia não seria suficiente pra compensar o tempo em que estivemos distantes. Por isso, já coloquei nas minhas metas para 2019 estar mais com as amigas, fazer mais scrap, escrever mais no blog...mais, mais e mais, porque a vida pra valer a pena precisa MAIS de nós. 


Feliz 2019 pra todas e que não seja apenas um ano a mais, mas o ano MAIS!!!! 





P.S.: muita gente fica curiosa sobre o nome CLUBE DAS CAPIVARAS. Alguns acham muito estranho, na verdade. Vou contar como surgiu. Costumávamos nos encontrar com bastante frequência pra fazer scrap e outras vezes só pra relaxar e nos divertir. Numa dessas fomos à casa da Thaís, irmã da Ju Budant, que fica num condomínio em frente à represa do Iraí. Lá costuma ter capivaras, que andam em grupo, super relaxadas e felizes. Como qualquer semelhança conosco não era mera coincidência, a partir daquele dia nos intitulamos CAPIVARETES. Vai dizer que esta capivara da logo não é um charme????   

sábado, 26 de dezembro de 2015

Well done

Well, well, well...

Não queria que o ano acabasse e eu ficasse em falta com as postagens do grupo Heroínas de Jane Austen. Então tirei um tempinho para fazer as 2 páginas referentes aos livros Razão e Sensibilidade e Orgulho e Preconceito, que embora tenham sido os primeiros livros indicados para a leitura do grupo até agora eu não tinha conseguido fazer. 

Particularmente estas obras de que mais gosto. A começar pelos títulos, que na minha opinião são extraordinários. Bendita seja a inspiração da autora quando os escreveu. Pois são capazes de despertar o interesse do leitor, levando-o a querer abrir os livros imediatamente. 

Razão e Sensibilidade




O antagonismo de Razão e Sensibilidade é sensacional. Não é apenas uma questão de duas irmãs com personalidades distintas, mas de uma mesma mulher que pode se sentir dividida entre suas emoções e as regras sociais. O que fazer. O que dizer. O que esperar e o que não esperar. Como as duas faces de uma mesma moeda,  as vidas das irmãs Elianora e Marianne são como o jogo de cara ou coroa, uma hora vence a razão outra hora o sentimento. 



Orgulho e Preconceito

A declaração de amor de Mr. Darcy é a chave para abrir o coração de Lizzie Bennet.  

Dentre as histórias de amor contadas por J.A., Orgulho e Preconceito é a mais apaixonada e apaixonante. Elizabeth Bennet é ao mesmo tempo suave e intensa. Tem personalidade forte e não se deixa levar facilmente pelos sentimentos. Seu orgulho é mais forte e não esconde seu preconceito em relação a empáfia do nobre Mr. Darcy. 

Homem enigmático, Mr. Darcy é consumido por um amor que considera impróprio pela sua condição social. Lizzie pertence a uma família sem recursos, com muitas irmãs e tem uma mãe casamenteira, que ele considera interesseira. Ela é tudo que ele abomina e ao mesmo tempo tudo o que ele quer. Dividido Mr. Darcy tem que aceitar que seu amor é maior que seu orgulho e preconceito. 

Coloquei em dia os projetos, mas não consegui concluir os materiais das troquinhas dos dois temas. Mas fica a promessa de enviar logo no início do ano.

Quero dizer que me sinto muito feliz de pertencer a um grupo como este , unido por um interesse comum. Em 2016 espero continuar compartilhando com vocês, Nice Sestari, Ale Dossena e Pati Dias, as leituras, as impressões, os sentimentos e, principalmente, a amizade. 



Feliz ano novo, heroínas!         

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Jane Austen Day

       Hoje é dia de comemorar o aniversário de Jane Austen, que nasceu em 16 de dezembro de 1775, em Hampshire, na Inglaterra. Jane Austen continua viva nos corações de milhares de leitoras, suas obras estão entre as mais lidas em todo o mundo. Eu, particularmente, sou fã de carteirinha de Jane Austen. Talvez seja porque ela encontrou diferentes formas de descrever o que é único, o amor. 
      Para participar dessa comemoração as Heroínas de Jane Austen, grupo virtual de leitura, do qual eu faço parte, resolveu fazer uma postagem coletiva, na qual cada uma deve comentar sobre uma das "heroínas" dos livros da autora. Para mim ficou a tarefa de falar sobre Funny Price, a heroína de Mansfield Park.


      É comum analisar o que as heroínas de Jane Austen têm em comum. No geral são mulheres apaixonadas, mas com uma boa dose de racionalidade. São fortes, mesmo que por vezes se debulhem em lágrimas. E acima de tudo são progressistas, não aceitam a condição feminina de submissão que a época impunha. Mas o que elas têm de singular? Que traços só pertencem a Lizzie, Emma, Elionora ou Funny? 
      Elionora é durona. Emma é irreverente. Lizzie é orgulhosa. E Funny? Quem é Funny Price? Qual adjetivo define melhor a personagem de Mansfield Park?Sua história começa quando aos 10 anos é enviada para morar na casa dos tios. Sua mãe era uma moça abastada, mas ao se casar com seu pai havia descido muito na escala social, enquanto a irmã dela se casou com um nobre muito rico. Desta forma, resolve ajudar a mãe de Funny, que tinha muitos filhos e nenhum centavo para criá-los, levando a menina morar em Mansfield Park. A diferença de classes está sempre presente nas histórias de Jane Austen. O contraste entre a vida dura dos menos favorecidos e a luxúria dos mais abastados é tempero indispensável no descritivo da autora.


      Ao chegar lá uma outra tia solteirona, que vive com a família e é responsável pela educação das crianças faz questão de colocar Funny no seu lugar, deixando bem claro para ela que vive lá de favor.  Desta forma, Funny se sente deslocada e encontra compensação na relação que constrói com o primo Edmund, por quem se apaixona desde o primeiro momento.
      Apesar de atencioso, Edmund nunca viu a prima com olhos de admirador. Só depois que um dos irmãos Crawford, Henry, resolve prestar atenção em Funny e fazer de tudo para ficar com ela é que Edmund se dá conta de seus sentimentos pela prima e que Funny é a mulher ideal para casar. Mas ao saber que ela sempre o amou fica surpreso. 
      Diferente de Lizzie e Mr. Darcy, este casal não solta faíscas, nem causa suspiros. É um amor amigo, conveniente. Mas respondendo a pergunta do início, qual adjetivo define melhor a personagem de Mansfield Park? Sem graça. De todas as personagens de Jane Austen, talvez seja a que menos prende o leitor. Seu conformismo chega a irritar. Sua sensatez um exagero. Sua tranquilidade é um tédio. Tudo nela é certinho demais. Lizzie Bennet é e sempre será minha heroína preferida. 

MINHA PÁGINA DE MANSFIELD PARK
Imagem de Funny, pequena e quase invisível diante da nobreza.  




domingo, 19 de julho de 2015

Pavão Misterioso

     Finalmente concluí minha primeira pintura. Foi um exercício e tanto de persistência, pois sou muito volúvel. Várias vezes quis desistir. Mas agora que está pronta, estou orgulhosa de mim mesma por ter  seguido em frente e ido até o fim. Não é que a Arteterapia funciona mesmo? 

Pintura com lápis aquarela FABER CASTELL germany. 

domingo, 21 de junho de 2015

Heroínas de Jane Austen - Primeira carta

     Eu ando atrasada com todas as minhas atividades de scrap e somente semana passada enviei a primeira carta do grupo de leitura Heroínas de Jane Austen. Foi para a querida Nice Sestari que ainda não tive o prazer de conhecer pessoalmente. 

     Foi uma emoção ter a caneta nas mãos e escrever para alguém. Afinal este é um hábito infelizmente perdido com as novas tecnologias da comunicação. Mas me lembro bem, quando era criança, da minha mãe trocando cartas com as amigas e familiares. Ela lia e depois compartilhava as novidades conosco. Imagino que ela comentava somente o que queria ou achava apropriado. Mesmo assim era como se eu também tivesse recebido uma carta. Eu adorava aquele momento. E depois ficava ao lado dela perguntando (incomodando) quando ela iria responder, pois queria estar junto. Esse vai e vem das cartas me fascinava. 

     Agora, fazendo parte deste grupo de leitura, tive a oportunidade de reviver essa expectativa de enviar e receber uma carta. Obrigada, Pati Dias. Sua ideia de trocarmos cartas após a leitura de cada livro foi genial. Foi como uma viagem no tempo. 

     E como regredimos dois séculos para entrar na época de Jane Austen quis retratar essa ideia na minha carta. Para isso utilizei a técnica de envelhecimento do papel com café. 


Técnica envelhecimento papel: 
O papel deve ser imerso no liquido do café por poucos segundos e depois colocado sobre uma superfície lisa e reta. 
Para produzir pequenas manchas e só salpicar pó de café em algumas partes. 
Deixe secar bem. 
Limpe os resíduos de pó com um pincel seco.  
Se precisar, coloque um peso (pode ser um livro) sobre o papel para alisar. 


Escrita com caneta nankin para lembrar bico de pena. 

     Para dar um toque pessoal, resgatei uma tradição cheia de charme de épocas passadas, que era também uma forma de garantir a autenticidade e credibilidade do conteúdo, lacrei a carta usando um sinete e cera.  


Junto com a carta enviei mais alguns mimos: 



     Foram 2 marca páginas com o tema Jane Austen, expostos acima, e outros 3 referentes ao primeiro livro, Razão e Sensibilidade. Porém, acabei esquecendo de fotografar. Bem como o kit com papéis e enfeites que montei com carinho para a Nice Sestari usar no seu álbum ou em outros projetos. 

    E fiz também uns mimos em patchwork. Estes 2 sachês de gaveta mostrados na foto abaixo. Não fiquem com ciúmes, Pati Dias e Ale Dossena, que quando tiver que enviar cartas para vocês vou mandar os seus. 




     Delícia, ne? Compartilhar, dar, receber. Heroínas de Jane Austen tem sido uma alegria estar com vocês. Um grupo tão pequeno e tão rico. 

Obrigada, meninas!

sábado, 13 de junho de 2015

Dia dos Namorados

     Com um dia de atraso quero registrar o Dia dos Namorados. Sabe o que mais gostei? É que meus dois filhos, que aparentemente nunca deram bola para o fato de eu fazer scrap, me pediram álbuns para darem para suas namoradas. Adorei a ideia. 
    As duas têm estilos bem diferentes. Uma é romântica e a outra mais esportiva. Aqui está o álbum mais descolado, pois o outro meu filho levou embora antes de eu fotografar. 







Materiais: 
  • Caixa madeira e estrutura álbum - Kit mini-álbum Maria do Rosário Garcia 
  • Pátina reagente Corfix
  • Gesso acrílico
  • Artist stencils: Prima Mkt Inc. e Donna Downey Studios
  • Papéis: Bo Bunny - Zip-A-Dee Doodle Zig Zap e Teresa Collins - Friendship
  • Stamps: Stampendous e Tim Holtz Collection
  • Furador: Martha Stewart
  • Large roller: Glitz - "chevron" e "arrows"
  • Chalk board - Tattered Angels
  • Ink spray Dylusions - Vibrant Turquoise
  • Memento Tuxedo black
  • Stázon Teal Blue
  • Adesivo strass TEC
  • Rub-ons Tim Holtz
  • Chipboards TEC Tok & Crie
  • Grommet words Making Memories
  • Fio encerado preto
  • Barbante colorido


Até mais!
     

Dia de Santo Antonio

     Hoje é o dia do santo casamenteiro. Lembro bem, na adolescência, quantas vezes afoguei Santo Antonio no copa d'água ou enforquei com um laço de fita. Tudo em nome do amor. E eu fui muito, muito apaixonada mesmo. Então posso dizer que o santo sofreu na minha mão. Mas temos que passar por um período de descobertas, não é mesmo? 
     Eu, graças ao santo talvez, tenho tido a sorte de viver o amor verdadeiro e posso dizer, apesar dos pesares, que tenho sido feliz. Pra quem ainda não encontrou seu amor, vai aí a oração que pode ajudar.   

Boa sorte!


Saint Anthony of Padua © Zvonimir Atletic / ShutterstockSaint Anthony of Padua © Zvonimir Atletic / Shutterstock
Oração a Santo Antônio de Pádua em busca do amor

(Esta oração pode ser rezada em um só dia ou como novena a Santo Antônio)

Santo Antonio, curai as feridas da vida sentimental.
Santo Antonio, curai as feridas da vida sentimental.
Santo Antonio, curai as feridas da vida sentimental.

Santo Antônio, recorremos a vós porque sabemos
que o casamento é uma vocação abençoada por Deus.
É o sacramento do amor comparado ao Amor de Cristo para com a Igreja.
Abençoai todos aqueles que se sentem chamados ao matrimônio.

Santo Antônio, alcançai de Deus a graça que vos peço:
que eu encontre a pessoa que Deus pensou para mim
desde toda a eternidade, com amor.
Que possamos ser santos juntos,
construir uma família alicerçada na fé
e ser felizes fazendo a vontade do Pai.

Santo Antônio, ajudai que o namoro e o matrimônio sejam
alicerçados pelo amor sincero e pela verdade constante.

Colocai no coração dos namorados e dos casais
verdadeiros sentimentos de afeto.
Fazei com que contemplem um ao outro e busquem
uma união abençoada por Deus, para que os namorados e os casais
sejam capazes de vencer os possíveis problemas familiares
e conservem sempre vivo o amor,
para que nunca falte a compreensão e a harmonia familiar.

Ó Glorioso Santo Antônio, que tivestes a sublime dita
de abraçar e afagar o Menino Jesus,
alcançai deste mesmo Jesus, a graça que vos peço
e vos imploro do fundo do meu coração.

(Faça agora o pedido da graça)

Santo Antônio, vós que tendes sido tão bondoso para com os pecadores,
não olheis para os poucos méritos de quem agora vos implora,
mas antes fazei valer o vosso grande prestígio junto a Deus
para atender-me nesta insistente súplica.

Santo Antônio, defendei-me de todos os perigos,
afastai de mim e do meu lar todas as tribulações.
Protejei-me em todos os empreendimentos,
inspirai-me na prática do bem e na busca da vida eterna.

Santo Antônio, rogai a Deus pelos namorados.
Santo Antônio, rogai a Deus pelos casais.
Amém.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Clube de Leitura Heroínas de Jane Austen

O casamento entre scrap e literatura está dando super certo pra mim. Tudo começou com a minha participação no Projeto Leitura Mágica 2015, promovido pelo Scrap pelo Brasil, a convite da Ana Lu Hoffman. Além de me manter motivada na leitura, ficar por dentro das dicas, trocar impressões, tenho adorado fazer os projetos de scrap dos livros lidos todos os meses. É muito estimulante e criativo.   

Recentemente a Patrícia Dias resolveu iniciar um grupo dedicado à Jane Austen. Por enquanto somos apenas quatro membros: Ale Dossena, Nice Sestari, a Pati e eu. Nos intitulamos as Heroínas de Jane Austen. A troca tem sido super rica e intensa. Falamos e trocamos tudo sobre nossa querida Jane. 

Ainda estamos lendo o seu primeiro livro, Razão e Sensibilidade, mas muita coisa boa já está acontecendo, como a troca de imagens, links, curiosidades, produção de tags, marca página e, inclusive, a troca de cartas postadas, a moda antiga. Além de tudo isso faremos bate-papos on line para discutir o livro do momento. Tudo, tudo de bom, não acham? 

Para compilar e armazenar parte desta produção toda cada uma está fazendo um álbum. Eu segui a sugestão da Pati Dias e resgatei este álbum de uma aula da Larissa Albernaz, na Scrapland, acho que foi em 2010 e estava inacabado até hoje. Depois de algumas adaptações, ficou perfeito, pois retrata bem o estilo da época das obras literárias da nossa autora, além de ser mega romântico, como ela e suas heroínas. 


Projeto: adaptação do álbum original "Sweet", de Larissa Albernaz. 


 Muita coisa boa vem por aí. Aguardem. 

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Arteterapia

Olá, 
Como foram de Dia das Mães? Consegui passar em casa, ainda bem, com minha mãe melhor. 

Depois de uma semana mega estressante, ganhei um presente para desestressar que eu amei. Um livro de colorir. 



Conhecidos como Arteterapia, pois auxiliam a  diminuir a ansiedade e o estresse, os livros de colorir para adultos estão fazendo muito sucesso. Concentrados na pintura podemos deixar os problemas de lado por um tempo. 


Existem vários temas, o que eu ganhei é uma edição especial para o Dia das Mães e traz desenhos e dizeres lindos.



Comecei a colorir ontem mesmo e já deu para perceber o efeito, a gente desliga e relaxa. 




Meus filhos disseram que vão comprar todos os livros para que eu fique calminha, calminha. (rss...)

  

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Romance de época e Ficção científica


A princípio o mês de Abril do Projeto Leitura Mágica 2015, do Scrap pelo Brasil, parecia que seria ao mesmo tempo um presente e um carma pra mim, pois os gêneros indicados eram o meu preferido, romance de época, e o que eu menos gosto, ficção científica. Mas não fazia ideia de quantas surpresas estavam reservadas.


Comecei a leitura pelo romance de época, é claro! Na minha lista eu havia indicado que leria “As sete irmãs”, de Lucinda Riley. E comecei a ler. No entanto, o livro não me ganhou de cara e lá pela metade resolvi deixar de lado e comecei a ler “O Duque e Eu”, de Julia Quinn. Devorei em dois dias. Como meu prazo estava ficando apertado, resolvi ler o livro de ficção científica antes de retornar “As sete irmãs”. Também acabei mudando, porque não encontrei “A Passagem”, de Justin Cronin, pronta entrega no dia em que fui comprar. Acabei fuçando outros títulos na seção de ficção científica e saí da livraria com “Revivente”, título original “Replay”, de Ken Grimwood. Um livro muito interessante, que me mostrou que não posso ser preconceituosa em relação ao gênero. 
 


As sinopses e minhas impressões, bem como o projeto de scrap sobre cada um destes dois livros estão em SCRAP-LIT, no menu logo acima. Entre lá e confira.

Por fim, voltei a ler “As sete irmãs” e gostei bastante. É como eu sempre digo: não existe livro ruim, a gente é que pode não estar pronta para ler em determinado momento.

Até mais!

sábado, 28 de março de 2015

Sick-lit e Distopia

Hoje é dia 28. Dia da postagem do Projeto Literário 2015.  Este mês os gêneros são:  

Sick-lit



Distopia 




A princípio não estava muito animada, mas depois acabei gostando bastante dos livros escolhidos. 

Quer saber minhas impressões sobre eles e ver os projetos?  


Entre em SCRAP-LIT, no menu superior. Vou adorar seu comentário. 

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Em dia




Oba! Finalmente estou fazendo a postagem do meu álbum da Leitura Mágica 2015 e ficando em dia com a leitura e com os projetos. Não via a hora de estar atualizada. Nesta postagem além do layout  do   álbum compartilho com vocês os projetos, sinopses e impressões dos livros de janeiro e fevereiro. É só entrar em scrap-lit, no menu superior, e conferir.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Sew

Esta tela foi feita utilizando a técnica Mixed Media

Materiais: tela, gesso, tinta spray, distress ink, papeis Toke e Crie, tecido, botões, cordão de pérola, chipboard, moldura Zarza Laser, peças em madeira e metal, renda e flores. 




Sem sketch pra seguir, coleção de papeis pra usar, o negócio é deixar a imaginação correr solta e ver o resultado.  

Eu costumo dizer que é o "lixo/luxo" do scrap, pois a gente pode usar todas as sobras de materiais e brincar a vontade, transformando em algo incrível. 

E você, também gosta de brincar? Manda pra mim o link de algum trabalho seu em mixed media. Eu vou adorar ver como você exercita a sua criatividade. 

Até mais!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Calendário







Tudo bem, eu sei que está meio fora de hora, mas só hoje fiz o meu calendário 2015. Estava procurando papeis para fazer outro projeto e encontrei a coleção New Year New You (Webster's). Como este é meu lema atual, me animei. 



Essa coleção já é antiga. Acho que de uns 2  ou 3 anos atrás, mas é muito fofa. Os meses  não tem distinção entre tema ou estações do ano, nem marcam os dias da semana. Ou seja, é um calendário inútil, mas é super colorido e alegre. Como alegria é o meu maior desejo para 2015, isso é que importa. 








O calendário suspenso tem 3 partes e já está marcando fevereiro.  
A de cima leva o título mega inspirador. 


A parte do meio serve de base para as páginas dos meses. 











E a de baixo marca o ano. 



Como nunca é demais desejar coisas boas. Desejo que, acima de tudo, este seja um ano muito alegre pra todas nós. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...